sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Translucidamente

Translúcida alma, tão nobre e doce
Irradiam íris esmeraldinas.
Tão alva como se alabastro fosses,
E com cândido sorriso fascinas.

Teu tenho sido sempre, mas fugido;
O filho pródigo à casa torna.
Pensar o que teria acontecido
Seria baldado de qualquer forma.

Já sei que taí nesta italianinha
O chão onde lanço minha semente:
Doravante somos um que caminha;
Pois o sentido da vida é pra frente!
E este 'um' vai ter tanta patinha...
Não demora, mais um ser que engatinha...
Cada dia se chama 'eternamente'!!!   

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

SerSon Dans L'Enfer



Ser ou não ser: eis a medicação. Será mais nobre na mente sofrer a intolerância da sociedade ensandecida ou tomar drágeas contra um diagnóstico, e numa internação pô-la nos "eixos"...Render-se, sucumbir, não mais. E sucumbindo, crer que finde a aporrinhção, e as mil rudes mãos que à carne aprisionam. É uma resignação a ser devotamente tentada. Render-se. Sucumbir, porventura libertar-se. Sim, eis o senão: Pois nessa liberdade de mentira, os grilhões estão, quando desembaraçados de muros de pedra, que nos atravancam o caminho. Tal é a consideração que faz indiferente a longa vida desta calamidade. Pois quem suportaria o açoite e o escárnio da estupidez, o agravo o televisor, a chacota do estulto, as chagas de amores desprezados, a Lei venal, e as patadas que o mérito paciente de pulhas recebe... quando ele mesmo pode buscar refúgio na loucura... Quem tais parvos suportaria com um falso servilismo, não fora o temor de acusações de insânia - o país indescoberto que viajor algum deseja visitar... Assim, a consciência faz de nós bem conformados. E assim o matiz saudável da autenticidade é acometido do verniz pálido da dissimulação. E personalidades de grande vigor e ímpeto, com tal temor, seus cursos desviam-se do rumo, e perdem o nome... de pessoas.       

terça-feira, 6 de junho de 2017

Nought's Done, All's Spent

No good is left, when all is said and done;
Too bad, 'tis right, since I'm done with, and sad.
'Tis decreed above I'll be mad and 'lone;
And above decree that all loathe the mad.
Time it is to lay to rest the matter,
And rest some time, far as my tetter may.
So long my hopes! May they fare better;
Hope my longings meet fairer set o'day.
I'll venture to accept the world as such,
And accept to venture in such a world.
Nor rhyme nor reason do I perceive much,
But reason to rhyme yet another word.
Come what may, with no one I'll change chances;
May it come, bear in mind that chance changes.


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Light with Mirth

Pray forgive the boldness thus to relapse;
Loath was I to charge thee with more vain words.
But it must be, for love's heat has its traps:
Those silly verses fell short of thy worth.
Thou'rt indeed a sanctified enchantress,
That casteth light with no recourse to art.
By thy fair looks thou art my blood's temptress;
Thy words doth show thy wit to stand apart.
May those gorgeous feet that tread the cold Earth
Stroll nonchalantly through my lustful dreams;
Grant those black enticing eyes light with mirth
By the crossing of our mutual beams.
A line in sum here keeps a'lingering:
That my joy can only be thy bringing.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Comida de Verme

Nunca me apeteceu ter o mundo em minhas mãos.
Bastava não me fugir de debaixo dos pés.
Pois embora sejam meus anseios os mais chãos,
Tudo em minha vida parece estar ao revés.

Se minha presença tão tóxica lhes parece,
Se o que eu sou resulta impróprio pra sociedade,
Alguma solução um tal dilema merece:
Seja a cessação, se não for a felicidade.

Pois só pode ser punido o único culpado;
E, mais, na mesma moeda que o réu malversou:
Não vem das estrelas o malogro de seu fado.

Mesmo aquilo que o doce príncipe mencionou,
O "país indescoberto", já foi rejeitado.
Ao nada no fim, como do nada começou.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Anjo Terrestre

Seu encanto é não ser anjo algum,
Não pairar por sobre a superfície;
Mas enfentiçado cá estou um,
Com tudo que naquele dia disse.

Que dizer de seus tão formosos pés?
De ombros e umbigo, Deus ajude!
Me guarde de outro triste revés,
Mas terei feito tudo que pude

Para convencer a seu doce encanto
Que podemos pisar o mesmo chão;
Que sua graça me cativa tanto,

É pouco chamar isso de paixão.
E se a sina disto é novo pranto,
Quero crer ser uma linda união.