domingo, 2 de setembro de 2007

Discussão na comunidade "Israel é um Estado Terrorista" do Orkut

Renato:
O golpe a caminho

Mercenários israelenses estariam assassinando camponeses na Colômbia e jogando a culpa sobre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. A advertência é do porta-voz das FARC, Raul Reyes. De acordo com Reyes, a intenção desses mercenários seria a de cometer crimes contra o povo com o intuito de culpar as FARC.

Além dos israelenses, haveria também comandos especializados de mercenários estadunidenses e ingleses que estariam vasculhando a selva “cujos alvos seriam alguns comandantes das FARC”.

Creio que a questão é mais ampla. Não se trata somente da Colômbia, porque não se deve dissociar a palavra mercenário de CIA – a agência de espionagem dos Estados Unidos. Esses assassinos já se encontram às portas de nosso país.

E em se tratando da CIA, dita o bom senso que não se deve excluir a inter-relação entre a campanha midiática por um golpe de Estado no Brasil e o repentino surgimento desses mercenários diante de nossas fronteiras. No mundo globalizado, todos os fatos confluem. Ou alguém acha que o delinqüente Bush e sua gang estão interessados somente na Colômbia?...

­­­­­­­­­­­­__________________

Anna Granma:

Eu acho é que o Brasil continua um Estado-Cliente dos EUA. Da "onda rosa" de governos latino-americanos, o nosso é o que mais defende a ortodoxia econômica do Consenso de Washington. Nossa PF, que pelo lado bom tem desmantelado quadrilhas de corrupção e fraudes, é também um títere da DEA.

E pensar que a mídia trabalha por um golpe de estado é delírio. Há sempre um maluco aqui e ali gritando "acorda, milico!", mas a verdade é que a máquina das corporações convive sem problema com esta farsa a que chamamos democracia.

Nosso presidente é que adora se fazer de vítima, apoiado num colossal culto à personalidade. Eu tento ver as coisas boas de seu governo, mas as ruins me enojam cada vez mais. Claro que o PT não inventou a corrupção. Na verdade, foi preciso que um partido de esquerda chegasse ao poder para que todo o espaguete começasse a ser jogado no ventilador.

Sim, a CIA se mete em tudo na América Latina e no mundo todo, mas é preciso cuidado com o jogo de inteligência e contra-inteligência, informação e contra-informação. Gostaria de saber quais as fontes da sua alegação.

E esta vai para o Alberto Gonzales: Andale, andale andale !!!
__________________
Renato:
Para Anna
Anna, a fonte da qual eu retirei essa informação que coloquei acima foi da revista Caros Amigos, ou, mais precisamente, do site dela. Você pode conferir se acessar o site: www.carosamigos.com.br .
__________________
Leonardo:
Me ajudou muito ler o artigo de Jean Baudrillard...{Simulacros e Simulações}

Ou seja, qualquer pessoa que tente explicar este começo de século XXI, e pelo menos as últimas décadas do XX em termos de claro e escuro, esquerda e direita, e por aí vai, ou é estúpido ou mal-intencionado ou os dois... A coisa tá tão maluca que só dá pra ver os signos se recombinando, escondendo não uma verdade, mas que não há verdade.

Mas há fatos, só que é muito difícil termos acesso a eles. Noam Chomsky é uma boa fonte. O Le Monde Diplomatique, que agora tem uma edição brasileira (viva!) também. Tenho algumas reservas quanto à Caros Amigos, mas é boa. E a Piauí também.

Até mesmo a guerra espanhola, no denominado entre-guerras, já apontava conflitos internos na esquerda. Leiam "Homage to Catalunia" de G.Orwell, ou vejam o filme "Terra e Liberdade" de Ken Loach. Talvez isso seja inerente a esse rótulo, uma vez que tudo que ele diz é "não concordo com o status quo". Em "A Vida de Brian" do Monty Python, havia a rivalidade visceral entre o People's Front of Judea e o Judea's People Front...

Mas vejamos, talvez o fracasso das ideologias seja uma coisa boa. Porque elas sempre foram pacotes de idéias a serem aceitos acriticamente. E cada indivíduo é uma verdade. Hoje, com a internete (interrede é muito feio? eu realmente quero aportuguesar) enfim, temos esta ferramenta que nos permite interagir de modo difuso e etéreo. Não dá pra invadir uma reunião e bater em todo mundo. Não dá pra cortar a linha, porque são várias... Bem, isso me traz Hannah Arendt à memória, mas fica pra próxima. Bem, é possível cada um contribuir com sua visão, mas chegamos ao busílis:

Como agir?

Um comentário:

Leonardo A. F. Afonso disse...

Simples:
Cada macaco no seu galho, derrubamos Keter, matamos Hokmah e fazemos Amor com Binah.

Que tal?