quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Para meu Anjo

O intenso brilho etéreo

de tua alva e suave tez

refletido pela Lua cheia

ilumina a noite do Sol


O delgado e longo feixe

de teus ebâneos cabelos

qual a cauda reluzente

dum misterioso cometa


Anéis Saturno não teria

bastantes para te adornar

A Via-Láctea toda não vale

o mel de teus rubros lábios


Teus olhos, buracos negros,

tragam milhares de planetas

e não me deixam outra escolha

que não ser teu satélite natural


Em rota de colisão

com tua superfície

Incandesço ao entrar

em tua atmosfera


O Universo és Tu.

Um comentário:

Leonardo A. F. Afonso disse...

Good Night Austin Texas, Wherever You Are !!!