segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Perto do Limite I

Uma bruxa experimentada poderia chamar-te do fundo de sua desgraça.
E rearranjar teu fígado para a mente de sólida graça.
Alcançar a tudo com música vinda célere e diastante.
Então provar do fruto do homem, lembrar a perdição de todos contra o instante.

E estipulando pontos para lugar algum, conduzindo todo e cada um.
Uma gota de orvalho pode nos exaltar como a música do sol.
E remover a planície sobre a qual estamos a nos mover.
E escolher a rota que estás a percorrer.

No fundo e no Fim, Por volta da Esquina
Não tão cedo, não tão cedo...
Perto do Limite, no Fundo de um Rio
Não tão cedo, não tão cedo...

Nenhum comentário: