domingo, 6 de junho de 2010

Tem peixe

Há alguns dias, a blogosfera gira em torno de mais um (confuso) episódio da assim-chamada pré-campanha: mais uma vez haveria petistas aloprados fabricando dossiês contra os adversários, e planejavam mesmo espionar a vida pessoal de Serra. Ao menos foi isso que nossa imprensa engajada (golpista se você preferir) alardeou.

Antes de mais nada, em uma situação como esta, é difícil engolir a narrativa de qualquer um dos lados. Não dá simplesmente pra acreditar em um veículo como a Veja, mas tomar as justificativas oficiais do PT por seu valor de face é assaz temerário. Tem peixe aí, dá pra sentir o cheiro. 

Bem, o assunto começou, ao que me parece, com uma matéria do Globo, que dava conta de que o PT tinha fabricado um dossiê envolvendo Verônica Serra, filha do Vampiro. Ao que tudo indica, trata-se de um ataque preventivo ante o livro do jornalista Amaury Ribeiro Jr., sobre todo o processo de privatização, ou "privataria", que comprometeria Serra através do ex-tesoureiro de sua campanha e diretor do BB, Ricardo Sérgio (aquele do "limite da irresponsabilidade"), além de associá-lo a Daniel Dantas, através de uma empresa que a filha de Serra e a irmã de Dantas (presa recentemente junto com o irmão) mantiveram em Miami. A nota curiosa é que o livro (ou a investigação) parece ter sido encomendado pela equipe do Aécio, depois que começou a circular que o Vampiro ia espionar o mineiro (para saber que ele cheira pó? dãã!). Enfim, olhando só essa trama, quem precisa dar explicações é Serra. Levantar acusações, e embasadas, não é ilegal.
 
Já a conversa da arapongagem que supõe-se que a campanha Dilma praticaria sobre Serra, surgiu um delegado Onézio, ligado ao Itagiba, aliado de Serra, que afirma ter sido procurado para fazer o que faz: espionagem, mas que teria recusado ofendido e procurado a revista Veja. Beleza, não dá pra embarcar na da Veja, porém... Lanzetta, contratado pela campanha Dilma oficialmente para contratar jornalistas, e acusado de intermediar o "projeto de trabalho", pediu o penico oficialmente, confirmando o episódio, com a ressalva de que ele é que teria sido procurado pelo milico, que ofereecia seus serviços. Tremendamente implausível também.


Portanto, eu não sei dizer como foi, mas houve essa movimentação para promover espionagem, algo ilegal, e isso pega bem mal para o campo de Dilma. Toutes les comptes faites, parece que não houve crime algum - se houve, são os que virão no livro de Amaury. Portanto, estando ainda mais a Copa do Mundo aí, este episódio sairá na urina, mas serve de indício para a baixaria que deve vir por aí (pelo menos um dos lados apelou). Além do mais, o eleitorado que vai de fato decidir a eleição, aquele que não se alinha a um campo, desinteressado de política, não será nunca afetado por esse tipo de acusação, então nada muda. E la nave va!

P.S.: Dilma e Serra vão jogar tanta lama um no outro que o Plínio vai ganhar no primeiro turno, quer apostar?

Nenhum comentário: