quarta-feira, 7 de julho de 2010

Por que será que a Alemanha não entrou em campo?

Roger Daltrey mostrou que Tommy não foi sua única grande atuação.

Longe de mim afirmar qualquer coisa (essa frase é perigosa!), mas penso que a semifinal em que a Espanha eliminou o bicho papão teutão - com o merecido respeito ao limitado escrete ibérico - dá combustível aos teóricos da conspiração. Obviamente, os resultados de Copa do Mundo nunca foram manipulados, mas se você assistiu à partida, nobre leitor, pode ter se perguntado: Por que será que a Alemanha não entrou em campo? Cadê aquela bola toda que eles mostraram golenado as tradicionalíssimas Inglaterra e Argentina nas etapas anteriores? Por que eles esperaram a Espanha fazer o que quisesse, e, mesmo tendo sofrido um gol, pouco apresentaram que se pudesse chamar de reação? Mais ainda: por que esse comportamento foi mais nítido no segundo tempo? Assim como o Brasil que - palavras do técnico holandês - humilhou o adversário na primeira parte daquele jogo de triste lembrança e voltou do intervalo para um esquete dos três patetas?

A troco de quê, você pergunta? Bem, acho que a FIFA quer a bagaça mais disputada, então interessa que os "virgens" levem o caneco, e de forma alguma que os tris e pentas somem mais uma estrela. Plausível, não?

Enfim, é bobagem pensar nesses termos. Pelo menos pela navalha de Occam, que diz que a explicação mais simples é provavelmente a correta, e o mais simples é que os comedores de chucrute amarelaram mesmo. Mas... aquelas pedras de gelo? Pois é. Parabéns à Fúria, ainda que eu insista: estão mais para um ligeira contrariedade. Domingo, eu acho que a Holanda merece mais. Venceram todas, e bem, enquanto a Espanha suou para passar de Portugal e Paraguai, adversários limitados. E até porque poderemos dizer que fomos eliminados sim, mas pelos campeões do mundo de 2010.

Nenhum comentário: