segunda-feira, 5 de julho de 2010

Rápido e rasteiro

Serra e suas hostes protagonizaram patético episódio em torno da indicação do vice, que não vale nem a pena, sendo notícia velha, recontar aqui. Só o que quero registrar é minha humilde análise da opção por um ilustre desconhecido indicado por César Maia.

Os demos já dão a derrota como certa, e não quiseram sacrificar nenhum figurão - no que apenas seguem a conclusão de Aécio. O tal Índio da Costa vai lá fazer figuração e valorizar o passe um pouco.


Obviamente ainda não se pode dizer que está tudo decidido - basta lembrar 89 quando golpes baixos garantiram Collor como primeiro presidente eleito após a ditadura. Mas o roteiro das eleições parece estar escrito.

Plínio vai vencer com 60%, é claro.

Nenhum comentário: