sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Qual é a tua, Nassa?

Ontem, acompanhava o jornalista Luís Nassif em uma (ótima) transmissão sobre a crise da imprensa e ascenção  da blogosfera, uma saga da qual ele mesmo é protagonista. Eu mesmo acompanho sua página, e recomendo aí ao lado, embora às vezes me pareça que embarquem (ele, e principalmente os comentaristas) com tanto vigor no governismo que o nível de chapa-branquismo fique intolerável.

Pois durante a transmissão Nassif chegou a se referir a Plínio como "meu grande amigo"; bacana, mas até aí morreu o Neves, pois mesmo FHC e Serra foram (não sei se seguem sendo) grandes amigos de Plínio. Eu mesmo tenho amigos com posições políticas diametralmente opostas.

Num dado momento, Nassif defendia, sem explicitar, a posição de que só é possível governar pelo centro (o que o PHA também defende), e que só resta definir um detalhe metodológico ou outro. Enquanto isso, há que se combater uma direita golpista (é óbvio), e uma esquerda "que quer reeditar a Revolução Russa". Ora, imaginando que à esquerda do espectro estão o P-Sol, o PCO, o PSTU, o PCB e talvez outro que me escape, e considerando que - até onde eu saiba - ninguém propõe repetir a malfadada experiência soviética (até porque as condições históricas são totalmente diversas), eu vi na "ironia" um ataque à posição (socialista, sim, e daí?) do meu partido.

E tuitei:
Errado, @luisnassif a esquerda não quer reeditar a Revolução Russa aqui. Informe-se #PlínioPresidente50
E depois:
@pliniodearruda Plínio, o @luisnassif nos acusou de querer reeditar a Revolução Russa! É um tucano arrependido ou o quê?

Carregando um pouco nas tintas, admito, mas qualquer um sabe, ou deveria saber, que antes de ser lulista aguerrido, Nassif transitava com desenvoltura no ninho tucano, e é inclusive bem claro quanto a sua relação com seus caciques - quando narra o encontro que teve com Serra e FHC no Alvorada, por exemplo.

Nassif respondeu meu tuíter, mesmo com muito sono, como dizia estar. Não explicava o que quis dizer com "reeditar a Revolução", ou a quem se referia. Foi algo mais parecido a um dedo na minha cara.

Não tente me intrigar com o Plinio RT @Leosfera: @pliniodearrudaPlínio, o @luisnassif nos acusou de querer reeditar a Revolução Russa!

Eu, que nunca quis intrigar ninguém, pelo contrário: fiquei intrigado eu com a afirmação do respeitado jornalista, blogueiro e bandolinista (e achei mais que natural jogar o espaguete no ventilador), ainda caí na besteira de fazer um mea culpa:

@luisnassif: Não tente me intrigar com o Plinio @Leosfera: Mea culpa putativo: eu devo ter entendido errado mesmo. É que é um ataque comum.

E voltei a assistir ao vídeo... e fiquei com a mesma impressão inicial: Nassif acusa os socialistas - mais, a "esquerda" - de perseguir aqueles caminhos que Chomsky desmonta com maestria como não sendo nada parecido com socialismo.

Portanto, como em qualquer "discussão", faço questão de o certo é pedir desculpas e me retirar, e deixar de fofoca, que não estamos aqui para isso. Mas cá entre nós, venerável leitor, Nassif repisou um dos mais batidos e odiosos clichês sobre a esquerda. E eu não podia ficar calado.

Nenhum comentário: