sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Avalanche de Escândalos

Como nesses canais de TV paga que tiram um dia para passar um único programa, a reta final da gincana eleitoral será uma maratona: denúncia depois de denúncia para desestabilizar o governo e tentar influir no resultado das urnas (o que já estão percebendo que não acontece). Controlar o governo levantando o que há de errado é sim função da imprensa, a ser levada com muita seriedade. As lebres ora levantadas (que não tenho paciência para enumerar) não parecem ser mera invencionice como quer a blogosfera chapa-branca. Que cada denúncia seja investigada pela instância competente. O mais provável é que cada uma gere mais calor que luz (mas ainda não o bastante) e em pouco tempo se esqueça a respeito. Se se mantivesse tal vigilância ao longo de todo (e todos) o(s) governo(s), não haveria mais espaço para tráfico de influência, que não é coisa exatamente nova. O efeito mais óbvio do denuncismo é jogar por terra qualquer esperança que pudesse restar de uma campanha centrada em projetos para o país, na discussão dos graves problemas estruturais que quedam por baixo de um cobertor de prosperidade momentânea (na esteira do fenômeno chinês), nas já tão esmaecidas ideologias. Segue a gincana. E a briga de torcidas.

Nenhum comentário: