sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Episódio IV

Quintal. TEMIS no chão, cantando; SAGAZ bola um beque; ESTELA e LÚCIA jogam xadrez.

SAGAZ. Criamos um monstro!
LÚCIA. Normal, Sagaz. As pessoas passam a vida represadas.
SAGAZ. Por isso eu tenho meu vertedouro.
ESTELA. Vertedouro? Isso é um Amazonas!
OGRO. Mãe, levanta daí...
TEMIS. Catch a fire...
SAGAZ. Opa, Tetê, agora!
close em OGRO contrariado
LÚCIA. Cheque-mate!
ESTELA. Eu nunca vou ganhar da Lúcia.
SAGAZ. Se for campeonato de riponguice...
OGRO. Mãe!
TEMIS. Diga, Rix!
OGRO. Rix?! Vem aqui, mãe!
TEMIS [levanta] Faaala, bebê!
OGRO sussurra. TEMIS gargalha e empurra a cadeira para dentro.
SAGAZ. Estela, dá uma olhada na fraldinha enquanto o bebê troca o fraldão.
LÚCIA. O que a gente faz com ela?
ESTELA. Nada. Espera ela ir embora.
LÚCIA. E quanto tempo ela vai ficar?
SAGAZ. Por mim ela ficava e o Ogro voltava para o Sargento Severo.
ESTELA. Quem é Sargento Severo?
LÚCIA. O pai dele, não ouviu ela dizer o nome completo do Ogro ao telefone?
SAGAZ. A patente é que eu inventei. Não deve ser mais que isso.
LÚCIA. Sei não, o Ogro tem grana.
SAGAZ. General Severo, então. Marechal Severo, torturador da ditadura!
Entram TEMIS e OGRO.
OGRO. Eu ouvi, Sagaz, tá anotado, viu?
TEMIS. Ih, o Arnaldo torturou sim, conta com o maior orgulho.
LÚCIA. Sério mesmo, Temis?
SAGAZ [sério]. Tem coisa mais séria?
ESTELA. atende o celular, conversa em off.
TEMIS. Eu não costumo falar sobre isso. Tenho colegas, amigos mesmo, que foram presos na época. Mas sabe como é, eu me casei muito nova... e militar sempre teve um encanto, não?
LÚCIA. Também não é todo militar que é torturador; é uma profissão muito digna... em vários aspectos.
ESTELA. Gente, a Gabi me chamou pra jogar basquete, alguém topa?
OGRO. Eu topo! [riso geral]
LÚCIA. Hoje, não, amiga.
SAGAZ. Eu vou ficar aqui com a Temitchka.
OGRO. Sagaz...
SAGAZ. Lisonja sua, senhor.
ESTELA. Então vou indo. [todos se despedem dela, ad lib]
OGRO. Mama, posso conversar com você? Em particular? [TEMIS empurra a cadeira para dentro]
LÚCIA. Que situação, Sagaz!
SAGAZ. Se a situação é ruim, a oposição é ainda pior.
LÚCIA. Fala sério agora: você está tentando comer a mãe do Ogro?
SAGAZ. Olha, acho que uma ogra não é exatamente um ser humano. Ninguém poderia me acusar de canibalismo, poderia?
LÚCIA. A Temis não é ogra, é uma criatura muito sensível.
SAGAZ. Mas seu coração é Severo!
LÚCIA. O safado tá mesmo gamado na...
SAGAZ. Claro que não, Lúcia, não seja boba; estou só torturando o Ogro.
LÚCIA. Igual o Marechal Severo?
SAGAZ. Igual não, pior. Eu não espero nenhuma confissão dele.
TEMIS e OGRO voltam, visivelmente tendo discutido.
TEMIS. Ai, gente, esse meu filho... É uma criança ainda. Como é difícil criar filhos! É muito complexo.
SAGAZ. De Édipo.
TEMIS. Vamos fumar?
LÚCIA. Que aluna aplicada!
SAGAZ. Vamos fumar, sim, e não será debalde! Quer dizer, vai ser de balde!
TEMIS. Balde?!
OGRO. E eu não tenho escolha, tenho que assistir tudo isso. Não posso nem ligar pro papai. Não é estranho que ele não ligou de novo, mãe?
TEMIS. Explica isso melhor, Sagaz.
OGRO. Ela nem me ouve mais.
SAGAZ. Vais aprender na prática, Temizzia, não precisa de nenhuma equação de hidráulica.
entram. LÚCIA empurra a cadeira, SAGAZ beija TEMIS sem que ninguém perceba. 
corte. interno. LÚCIA, SAGAZ e TEMIS em volta do balde. OGRO tenta se manter alheio, ouve música.
TEMIS. Que maluquice é essa?
LÚCIA. É simples, Temis, um balde com água, uma garrafa cortada e a um buraco na tampinha. Beque no buraco, garrafa na água, enrosca a tampinha. Pegou? Agora, puxe a garrafa para cima... ela se enche de fumaça; você desenrosca a tampinha, mete a boca empurra a garrafa pra baixo. Presta atenção.
TEMIS [gargalhando] Deixa eu, deixa eu. [tenta fumar, se atrapalha, consegue eventualmente e tosse muito] Puta que pariu! [riso quase geral]
LÚCIA. Na verdade, isso a gente só faz de vez em quando. É meio extremo. Acho que não deve ser bom pro pulmão. Até o beque mesmo faz mal. A gente tá pensando em comprar um vaporizador.
TEMIS. Uai, eu tenho um vaporizador. Funciona que é uma beleza, limpa a cozinha...
SAGAZ. Tá virando uma piadista, né?
LÚCIA. Vaporizador é uma nova – nem tão nova – forma de usar a ganja. Sem queimar a erva, extraindo as substâncias com vapor quente. Elimina o risco de câncer. Se bem que tem pesquisas que indicam até que ela previne. Mas isso é controverso.
OGRO. Mãe! Mãe! MÃE!!!
TEMIS. Diga lá, Ogrinho.
OGRO. O papai não ligou de novo desde ontem, não é estranho? Eu quero falar com ele.
LÚCIA. Temis, isso é sério, ele deve estar preocupado.
TEMIS. Ele que ligue.

LÚCIA. Pois é, meu medo é que ele tenha justamente resolvido [toca a campainha] vir até aqui.

Nenhum comentário: