quarta-feira, 24 de maio de 2017

Light with Mirth

Pray forgive the boldness thus to relapse;
Loath was I to charge thee with more vain words.
But it must be, for love's heat has its traps:
Those silly verses fell short of thy worth.
Thou'rt indeed a sanctified enchantress,
That casteth light with no recourse to art.
By thy fair looks thou art my blood's temptress;
Thy words doth show thy wit to stand apart.
May those gorgeous feet that tread the cold Earth
Stroll nonchalantly through my lustful dreams;
Grant those black enticing eyes light with mirth
By the crossing of our mutual beams.
A line in sum here keeps a'lingering:
That my joy can only be thy bringing.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Comida de Verme

Nunca me apeteceu ter o mundo em minhas mãos.
Bastava não me fugir de debaixo dos pés.
Pois embora sejam meus anseios os mais chãos,
Tudo em minha vida parece estar ao revés.

Se minha presença tão tóxica lhes parece,
Se o que eu sou resulta impróprio pra sociedade,
Alguma solução um tal dilema merece:
Seja a cessação, se não for a felicidade.

Pois só pode ser punido o único culpado;
E, mais, na mesma moeda que o réu malversou:
Não vem das estrelas o malogro de seu fado.

Mesmo aquilo que o doce príncipe mencionou,
O "país indescoberto", já foi rejeitado.
Ao nada no fim, como do nada começou.